BDMG Cultural abre inscrições para o Jovem Instrumentista 2021

Entre os dias 24 de maio e 25 de junho, o BDMG Cultural recebe inscrições para o programa Jovem Instrumentista 2021. Ao todo, serão selecionados 10 jovens instrumentistas com bolsa de tutoria de 30 horas/aula com instrumentistas escolhidos pelos candidatos e candidatas. O edital e o formulário de inscrição online estão disponíveis, gratuitamente, no site www.bdmgcultural.mg.gov.br.

O programa Jovem Instrumentista BDMG foi criado há 19 anos para fomentar e contribuir para a formação de jovens instrumentistas mineiros ou residentes em Minas Gerais, ampliando as suas possibilidades de aprendizagem e interlocução artística com músicos mais experientes. Para participar do programa, o candidato ou candidata deve ter idade até 25 anos.

Pelo segundo ano consecutivo, em função da pandemia da covid-19, o BDMG Cultural propõe um processo totalmente online para garantir a segurança de todas as pessoas envolvidas no programa. O programa de bolsas vai selecionar 10 instrumentistas que serão contemplados com 30 horas de tutoria, no período de cinco meses, com professores da sua escolha.

Em 2021, a abertura do Jovem Instrumentista vai contar com um músico convidado para uma palestra online com o tema "O caminho e os desafios para a construção de uma carreira musical" e, no final do programa, previsto para dezembro, os jovens músicos participarão de uma apresentação pública em recital online, transmitido pelo canal do YouTube do BDMG Cultural.

Para Beth Santos, coordenadora de música do BDMG Cultural, "o programa Jovem Instrumentista revigora a música mineira com novos instrumentistas e tem como objetivo primordial aprimorar a técnica da performance de jovens músicos. Este aprimoramento abre caminhos e novos horizontes para músicos intérpretes. Em 2002, quando o programa foi criado, o músico Renato Andrade, um dos maiores mestres da viola caipira, foi um dos tutores do programa e disse: 'Fernando Sodré é bom demais! Ele é um forte candidato a me suceder. Assim como o Almir Sater e o Biancardini'.", recorda.

"Este é o segundo ano em que fazemos o programa transformando suas atividades em acompanhamentos online. Tem sido um desafio e também é muito importante para a continuidade do Jovem Instrumentista e para que aqueles que estão se formando possam usar este momento tão singular pelo qual estamos passando para se aprimorarem e criarem novas interlocuções artísticas. Além disso, o acompanhamento à distância permite que mais jovens de todas as regiões do Estado possam acessar a possibilidade de tutoria”, ressalta Gabriela Moulin, diretora-presidente do BDMG Cultural.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s