Equipamentos do Circuito Liberdade se preparam para retomar atividades presenciais

Os espaços culturais integrantes do Circuito Liberdade e sob gestão da Secretaria de Estado e Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) em Belo Horizonte retomam as atividades presenciais nesta semana. A reabertura acontece em consonância com o Decreto publicado pela administração municipal no sábado (3/7), autorizando a flexibilização de shows, teatros e museus na capital.

A partir de quarta-feira (7/7), o Museu Mineiro, o Centro de Arte Popular e o Museu dos Militares Mineiros reabrem suas portas ao público com as programações vigentes. Também na quarta-feira, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais retomará atividades presenciais apenas na galeria de arte Paulo Campos Guimarães, com a exposição gratuita “Jean-Denis Pendanx, Viagens em Quadrinhos”, que pode ser visitada das 8h às 18h, de segunda a sexta, e das 8h às 12h, aos sábados. Já o Arquivo Público Mineiro retomará o atendimento presencial a partir da mesma data (7/7) mediante agendamento prévio, com dois dias de antecedência, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O espaço estará aberto das 9h às 12h e de 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. 

Já a Fundação Clóvis Salgado (FCS), instituição vinculada à Secult, estreia o espetáculo gratuito “...Incomoda, Incomoda, Incomoda”, no Grande Teatro do Palácio das Artes, na terça-feira (6/7) apenas para convidados. A montagem, que celebra os 35 anos do Curso Técnico de Teatro do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart) e marca a formatura dos alunos do curso, fica em cartaz de 7 a 11 de julho. Os horários são às 20h30, de quarta-feira a sábado, e às 19h no domingo, com retirada de ingressos duas horas antes da apresentação, na bilheteria do teatro. 

Na quinta-feira (8/7), a FCS estreia a exposição “Imagens Resolutivas”, resultado da 4ª edição do Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte (FIF-BH), ocupando as galerias Genesco Murta, Arlinda Corrêa Lima e Galeria Aberta Amilcar de Castro, além da fachada do Palácio das Artes, e a CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais. A partir de 16/7, o Cine Humberto Mauro retoma as sessões com a Mostra Joan Crawford. Os ingressos serão distribuídos antes de cada sessão, com lotação máxima do cinema de 30 lugares (25% da ocupação). 

Entre os espaços do Circuito Liberdade sob gestão de parceiros, o Centro Cultural Unimed-BH Minas já estará de portas abertas a partir de terça-feira (6/7), e o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBBBH) reabre na quarta-feira (7/7) com as exposições "Yara Tupynambá - 70 Anos de Carreira" e "Abraham Palatnik - A Reinvenção da Pintura". O BDMG Cultural também estará aberto na quarta-feira (7/7). 

A partir desta quinta-feira (8/7), a Filarmônica de Minas Gerais volta a receber o público na Sala Minas Gerais, com apresentação inédita do pianista israelense Alon Goldstein, que vai executar a obra Segundo Concerto para Piano, de Brahms. Serão dois concertos com o mesmo repertório, na quinta-feira (8/7) e na sexta-feira (9/7), às 20h30. A presença do público está limitada ao máximo de 393 pessoas por apresentação, o que corresponde a 26% da capacidade total da Sala (1.493 lugares). A apresentação de quinta-feira é somente para assinantes e terá transmissão ao vivo por meio do canal da Filarmônica no YouTube. A apresentação de sexta é também aberta ao público, com venda de ingressos a partir de quinta-feira (8/7). 

Protocolos para reabertura

O funcionamento dos espaços seguirá os protocolos sanitários definidos pela Prefeitura de Belo Horizonte. No caso dos museus, a capacidade máxima de público deve ser de 50%. Já em teatros e apresentações culturais, como shows, o limite é de até 600 pessoas sentadas. Caso haja consumo de bebidas e alimentos no local, o número é reduzido para 400 pessoas.  O uso de máscara de proteção, cobrindo nariz e boca, para ter acesso a quaisquer dependências dos espaços, será obrigatório. Os visitantes deverão manter as mãos higienizadas, seguir o fluxo único das exposições e manter o distanciamento mínimo em relação a outras pessoas. O distanciamento deverá ser respeitado tanto na fila de acesso ao local quanto no trajeto expositivo.

É necessário que cada visitante traga consigo sua própria máscara, seja ela reutilizável ou descartável. Os bebedouros de água que exigem aproximação da boca para ingestão estarão lacrados, permitindo-se somente o funcionamento do dispensador de água para copos descartáveis ou garrafas trazidas pelos visitantes. Os frequentadores também deverão seguir recomendações como evitar aglomerar e conversar, manusear telefone celular, ou tocar o rosto durante a permanência no interior do espaço; realizar a higienização das mãos ao entrar e sair dos locais; seguir sempre as instruções dos funcionários e não frequentar o teatro ou centro cultural caso apresentem qualquer sintoma de resfriado ou gripe.

Os espaços culturais integrantes do Circuito Liberdade sob gestão da Secretaria de Estado e Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) em Belo Horizonte retomam as atividades presenciais nesta semana. A reabertura acontece em consonância com o Decreto publicado pela administração municipal no sábado (3/7), autorizando a flexibilização de shows, teatros e museus na capital.

 

A partir de quarta-feira (7/7), o Museu Mineiro, o Centro de Arte Popular e o Museu dos Militares Mineiros reabrem suas portas ao público com as programações vigentes. Também na quarta-feira, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais retomará atividades presenciais apenas na galeria de arte Paulo Campos Guimarães, com a exposição gratuita “Jean-Denis Pendanx, Viagens em Quadrinhos”, que pode ser visitada das 8h às 18h, de segunda a sexta, e das 8h às 12h, aos sábados. Já o Arquivo Público Mineiro retomará o atendimento presencial a partir da mesma data (7/7) mediante agendamento prévio, com dois dias de antecedência, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O espaço estará aberto das 9h às 12h e de 13h às 17h, de segunda a sexta-feira.

 

Já a Fundação Clóvis Salgado (FCS), instituição vinculada à Secult, estreia o espetáculo gratuito “...Incomoda, Incomoda, Incomoda”, no Grande Teatro do Palácio das Artes, na terça-feira (6/7) apenas para convidados. A montagem, que celebra os 35 anos do Curso Técnico de Teatro do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart) e marca a formatura dos alunos do curso, fica em cartaz de 7 a 11 de julho. Os horários são às 20h30, de quarta-feira a sábado, e às 19h no domingo, com retirada de ingressos duas horas antes da apresentação, na bilheteria do teatro.

 

Na quinta-feira (8/7), a FCS estreia a exposição “Imagens Resolutivas”, resultado da 4ª edição do Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte (FIF-BH), ocupando as galerias Genesco Murta, Arlinda Corrêa Lima e Galeria Aberta Amilcar de Castro, além da fachada do Palácio das Artes, e a CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais. A partir de 16/7, o Cine Humberto Mauro retoma as sessões com a Mostra Joan Crawford. Os ingressos serão distribuídos antes de cada sessão, com lotação máxima do cinema de 30 lugares (25% da ocupação).

 

Entre os espaços do Circuito Liberdade sob gestão de parceiros, o Centro Cultural Unimed-BH Minas já estará de portas abertas a partir de terça-feira (6/7), e o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBBBH) reabre na quarta-feira (7/7) com as exposições "Yara Tupynambá - 70 Anos de Carreira" e "Abraham Palatnik - A Reinvenção da Pintura". O BDMG Cultural também estará aberto na quarta-feira (7/7).

 

A partir desta quinta-feira (8/7), a Filarmônica de Minas Gerais volta a receber o público na Sala Minas Gerais, com apresentação inédita do pianista israelense Alon Goldstein, que vai executar a obra Segundo Concerto para Piano, de Brahms. Serão dois concertos com o mesmo repertório, na quinta-feira (8/7) e na sexta-feira (9/7), às 20h30. A presença do público está limitada ao máximo de 393 pessoas por apresentação, o que corresponde a 26% da capacidade total da Sala (1.493 lugares). A apresentação de quinta-feira é somente para assinantes e terá transmissão ao vivo por meio do canal da Filarmônica no YouTube. A apresentação de sexta é também aberta ao público, com venda de ingressos a partir de quinta-feira (8/7).

 

Protocolos para reabertura
O funcionamento dos espaços seguirá os protocolos sanitários definidos pela Prefeitura de Belo Horizonte. No caso dos museus, a capacidade máxima de público deve ser de 50%. Já em teatros e apresentações culturais, como shows, o limite é de até 600 pessoas sentadas. Caso haja consumo de bebidas e alimentos no local, o número é reduzido para 400 pessoas.  O uso de máscara de proteção, cobrindo nariz e boca, para ter acesso a quaisquer dependências dos espaços, será obrigatório. Os visitantes deverão manter as mãos higienizadas, seguir o fluxo único das exposições e manter o distanciamento mínimo em relação a outras pessoas. O distanciamento deverá ser respeitado tanto na fila de acesso ao local quanto no trajeto expositivo.

 

É necessário que cada visitante traga consigo sua própria máscara, seja ela reutilizável ou descartável. Os bebedouros de água que exigem aproximação da boca para ingestão estarão lacrados, permitindo-se somente o funcionamento do dispensador de água para copos descartáveis ou garrafas trazidas pelos visitantes. Os frequentadores também deverão seguir recomendações como evitar aglomerar e conversar, manusear telefone celular, ou tocar o rosto durante a permanência no interior do espaço; realizar a higienização das mãos ao entrar e sair dos locais; seguir sempre as instruções dos funcionários e não frequentar o teatro ou centro cultural caso apresentem qualquer sintoma de resfriado ou gripe.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s