Negritude na construção da capital é tema de evento no Circuito Liberdade

Evento rememora o Dia da Consciência Negra, celebrado em novembro, com palestras, exposição, rodas de conversa e visitas mediadas

O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), em parceria com a APPA Arte e Cultura, promove, em Belo Horizonte, entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro, o evento “Patrimônio, Cidade e Negritude”. O objetivo é trazer ao cenário da cultura e do patrimônio cultural a trajetória da população negra ao longo da história de Belo Horizonte, considerando inclusive o período anterior à construção da Capital.

Percursos mediados a lugares de referência da população negra no espaço urbano, em diferentes períodos, integram as atividades. Em um dos roteiros, os participantes farão o trajeto entre a Capela de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Curral Del Rey (esquina da Avenida Álvares Cabral com as Ruas Guajajaras e Espírito Santo) e a Capela de Nossa Senhora do Rosário - conhecida como Capela de Santo Antônio (esquina da Rua São Paulo com a Rua Tamoios, no centro da Capital).

A programação conta ainda com a exposição “Palácio da Liberdade, leituras negras”, na antiga sede do Governo do Estado, que será aberta ao público dia 30/11, além de rodas de conversa e palestras sobre o tema. As atividades acontecem no Circuito e também no Museu Histórico Abílio Barreto. A entrada é gratuita e as inscrições devem ser feitas no site www.sympla.com.br/consciencianegra.

A historiadora Josemeire Alves Pereira e a arquiteta Lisandra Mara Silva, organizadoras, explicam que a proposta do evento é promover a formação e sensibilização da sociedade. Além de multiplicar o conhecimento de experiências historicamente silenciadas e alterar as perspectivas de percepção da cidade, a partir da relação entre patrimônio, cidade e etnicidade. Elas enfatizam que "ações como essa contribuem para a visibilidade da identidade negra da cidade, historicamente apagada pelo racismo estrutural presente na elaboração dos discursos historiográficos e patrimoniais, que eliminam simbolicamente as experiências".

Por meio desta programação, busca-se abordar temas que contribuem para a construção de conhecimentos sobre a presença da população negra no território da Capital mineira, em diferentes momentos. Temas como o direito à cidade, à moradia e à terra serão debatidos, assim como o direito à representação nas construções simbólicas, de memória e da história, que fazem parte da dinâmica de constituição identitária da cidade.


EXPOSIÇÃO

Palácio da Liberdade, leituras negras
A exposição é um convite ao exercício de releituras. A mostra questiona ausências e evidencia a eloquência dos silêncios sobre a presença e as referências culturais negras nas representações da memória e da história da cidade. O discurso da mostra nos convida a admirar a escadaria em ferro batido, produzida na Alemanha, em reconhecido estilo art nouveau europeu.

Sankofas e arabescos que compõem o ornamento do Palácio remetem a uma dimensão territorial da forma que extrapola limites geopolíticos e evidenciam africanidades subjugadas a uma representação de Europa como referência estética e de poder.

Abertura para o público: 30/11, sábado

Local: Palácio da Liberdade

 

PROGRAMAÇÃO

28/11

Palestra
Patrimônio e Etnicidade
Por: Nila Rodrigues Barbosa
Mediadora: Josemeire Alves
Horário: 19h às 21h
Local: BDMG Cultural | Instituto Cultural Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais - Rua Bernardo Guimarães, 1.600 - Lourdes – BH/MG

29/11

Roda de Conversa

Arquitetura, Educação Patrimonial e Acervos
Com: Lisandra Mara Silva, Mara Evaristo e Luzinete Assis (Iepha-MG)
Mediação: Josemeire Alves
Data: 29/11, 14h às 18h
Local: MMGerdau - Museu das Minas e do Metal | Praça da Liberdade, s/nº, Prédio Rosa

Visita mediada

Percurso: Do antigo Largo do Rosário - Capela de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Curral Del Rey - para Capela de Nossa Senhora do Rosário (conhecida como Capela de Santo Antônio), esquina de Rua São Paulo com Rua Tamoios.
Data: 29/11
Local: MMGerdau - Museu das Minas e do Metal | Praça da Liberdade, s/nº, Prédio Rosa

30/11

Roda de Conversa
Presença negra em Curral Del Rey/BH, Quilombos e Lutas Urbanas
Com: Míriam Aprígio e Mary Guimarães e Josemeire Alves
Mediação: Lisandra Mara Silva
Data: 30/11, 9h às 13h
Local: Museu Histórico Abílio Barreto|Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim

Visita mediada
Exposição NDÊ!, no Museu Histórico Abílio Barreto (trabalhando especialmente com eixos da exposição que se relacionam ao tema abordado na Roda de conversa).
Data: 30/11
Local: Museu Histórico Abílio Barreto|Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim


01/12

Roda de Conversa
Dos que chegam e dos que ficam: migrações e resistências
Com: Natália Alves, Makota Kidoiale
Mediadora: Josemeire Alves
Data: 1/12, 9h às 13h
Local: Memorial Minas Gerais Vale | Praça da Liberdade, 640 (esquina com Rua Gonçalves Dias)

Para participar da programação, o interessado deve se inscrever no site www.sympla.com.br/consciencianegra
Todas as atividades são gratuitas.

A historiadora Josemeire Alves Pereira e a arquiteta Lisandra Mara Silva, organizadoras, explicam que a proposta do evento é promover a formação e sensibilização da sociedade. Além de multiplicar o conhecimento de experiências historicamente silenciadas e alterar as perspectivas de percepção da cidade, a partir da relação entre patrimônio, cidade e etnicidade. Elas enfatizam que ações como essa contribuem para a visibilidade da identidade negra da cidade, historicamente apagada pelo racismo estrutural presente na elaboração dos discursos historiográficos e patrimoniais, que eliminam simbolicamente as experiências.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s