Projeto de alunos de Artes Visuais do programa Plug Minas estampa tapumes durante obra de revitalização de edifícios do Circuito Liberdade

Parcerias de empresas com o Governo do Estado, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, viabilizaram a ação


Os mais de 200 metros de tapumes que fecham as obras de três prédios no Circuito Liberdade estão ganhando cores e formas idealizadas por cerca de 70 estudantes da escola Centro Interescolar de Cultura, Artes, Linguagens e Tecnologias (Cicalt/Valores de Minas). A ação, intitulada “Laços de Nós” é realizada pelo Plug Minas e integra o Projeto Tudo de Cor, resultado de uma parceria do Governo do Estado, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), da Secretaria de Estado Cultura (SEC) e da Secretaria de Administração Prisional (Seap), com a Coral, a Casa & Tinta, o Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de Minas Gerais (Sicepot-MG), o Grupo Orguel, a Seconci, a Cemig e a Associação dos Amigos do Museu Mineiro.

Os tapumes cercam o Museu Mineiro, o Arquivo Público Mineiro e a Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais e estão recebendo as intervenções artísticas desde o último dia 25 de outubro. “Vamos abordar o protagonismo da mulher negra, o (re) nascimento do ser, a identidade negra e as experiências de vida dos próprios estudantes”, conta a professora de Artes Visuais do Cicalt, Jordana Ferreira, que atua no projeto.

O processo de criação do “Laços de Nós” começou bem antes da materialização do trabalho. “Já desenvolvemos os croquis dentro da temática e começamos um estudo sobre quais desenhos vamos reproduzir, paleta de cores e dimensão, que é pensar como vamos transformar os desenhos em painel. Também faremos um trabalho de composição e vamos observar como será a disposição dos desenhos”, afirma Jordana.

Em sala de aula, não só a arte foi discutida, mas também conceitos. “Buscamos abordar como fazer a ocupação do espaço público através de imagens e, aprofundando o tema, os estudantes pesquisaram sobre as referências negras que temos e um pouco da história de vida deles mesmos. Também visitamos os equipamentos culturais do Circuito Liberdade”, afirma a educadora.

A estudante do Módulo 1 do Valores de Minas, Aline Aparecida do Prado, ressalta a importância do projeto para o crescimento dos alunos. “É um processo diário de estudo que estamos tendo. Acho que vai retratar sim o que cada um quer dizer. É um trabalho coletivo, mas também muito pessoal. Estamos trocando muitas imagens, quanto mais estivermos juntos o trabalho vai sair melhor”.

Tudo de Cor

A ação do Plug Minas integra o Projeto Tudo de Cor, que está realizando a pintura das fachadas do Museu Mineiro, do Arquivo Público Mineiro, da Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais – edifícios públicos do Circuito Liberdade – e também do coreto da Praça da Liberdade.

O Tudo de Cor é fruto de uma parceria do Governo do Estado, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), da Secretaria de Estado Cultura (SEC) e da Secretaria de Administração Prisional (Seap), com a Coral, a Casa & Tinta, o Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de Minas Gerais (Sicepot-MG), o Grupo Orguel, a Seconci, a Cemig e a Associação dos Amigos do Museu Mineiro.

A pintura está sendo realizada por cerca de 40 presos – homens e mulheres - em regime semiaberto selecionados pela Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap). Antes de iniciar os trabalhos, os presos participaram de um Curso de Capacitação Profissional de 90 horas, ministrado pela equipe das diretorias de Conservação e Restauração e de Proteção e Memória do Iepha-MG, visando a Educação Profissional e Tecnológica. Eles aprenderam técnicas de restauração, de preservação de fachada, técnicas de pintura e noções de segurança do trabalho.

A previsão é que a pintura seja concluída em novembro deste ano.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s